29.11.08

Poesia do Deprimido

Pô, vi no OMEDI achei legal, então republiquei no meu blog com a tradução do Gabriel e complemento do Japan Designer (leitores do OMEDI), valeu!

Não me neguem
não me diminuam
não me deem sermões
nao me pressionem para fazer as coisas
nao façam analises arbitrárias
nao me mimem
nao me encorajem
gentilmente, balancando a cabeça
somente concorde comigo
e depois desista
por último
porque estou dando gargalhadas

*várias frases terminam com "Kudasai": "por favor".

Como fumar um baseado, do filme "Taking Off" de 1971

De Milos Forman...

Sharo - Dance a Little Bit Closer 1977

1977, tinha 11 anos, usava mocassim, calça boca fina (de preferência Softmachine), camiseta HangTen ou LightingBolt e sonhava com os peitões da Sharo!

28.11.08

Ato contra a impunidade dos torturadores

28/11/2008 16:35:45
Celso Marcondes

A UNE - União Nacional dos Estudantes - é uma das entidades que está convocando o ATO PUBLICO DIREITO À MEMÓRIA E À VERDADE, para a próxima segunda-feira, em São Paulo. O evento tem como principal objetivo exigir a punição dos torturadores da ditadura militar. Também pedirá a abertura de todos os arquivosmilitares, a responsabilização pelos crimes de lesa humanidade e a localização dos corpos dos desaparecidos políticos

Convocado em conjunto com a OAB, o Ministério Público Federal, a Associação Juízes Para a Democracia, a CUT e várias outras entidades, o ato deverá colocar mais lenha na fogueira de uma discussão que parece sem fim. Isso porque o governo federal se recusa a tomar uma posição clara. Até aqui, apenas os ministros Paulo Vannuchi e Tarso Genro têm exigido claramente a punição aos torturadores daqueles anos tristes da nossa história. Além deles, só a ministra Dilma Roussef sinalizou com declarações neste mesmo sentido. O posicionamento da Advocacia Geral da União, através do ministro José Antonio Toffoli, indicando que caberia à União a defesa do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra - um dos principais mandantes das torturas nas masmorras de São Paulo - dividiu de vez o governo e parte da opinião pública. Enquanto isso, o presidente da República não toma nenhuma posição. E o presidente do STF, Gilmar Mendes, não perde a oportunidade para discordar de Vannuchi e Genro.


Entidades ligadas às Forças Armadas, ex-policiais e militares, civis saudosos dos tempos sem democracia também se mobilizam na tentativa de desviar o foco das atenções. Dizem que só pode haver punição aos torturadores se também haver para os que chamam de “terroristas”. Ou, com outra linha de raciocínio, pedem para que se passe uma borracha no passado e se esqueça tudo, como, segundo a interpretação que fazem, definiria a Lei da Anistia.

Já os mais assanhados, na semana passada, inundaram as caixas de mensagens dos órgãos de imprensa com um pretenso fac-símile da ficha da ministra Dilma quando militante de uma organização de esquerda durante aquele período. A ficha atribuía à hoje ministra uma série de atentados, seqüestros e assaltos. Não dedicava, porém nenhuma linha que descrevesse a prisão e as selvagens torturas que ela sofreu no mesmo período. Por mera coincidência, o ataque à ministra ocorreu exatamente na semana em que o presidente Lula reiterava seu apoio à candidatura de Dilma em 2010.

Aos defensores da impunidade dos torturadores, têm se respondido que a tortura é crime de lesa humanidade e, portanto, imprescritível. Também tem sido dito à exaustão que os ditos “terroristas” ( e muitos não “terroristas”) foram exterminados da face da terra e os que sobreviveram são exatamente os que podem contar a história das sevícias que sofreram durante aquele regime de terror imposto pelas armas.

Nada tem adiantado. Daí a mobilização das entidades e de dignos parlamentares em torno deste Ato Público.

Espera-se a presença do ministro Paulo Vannuchi e do doutor Paulo Abrão, da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça. E dos que acham que a boa memória faz bem ao País.

ATO PÚBLICO: DIREITO À MEMÓRIA E À VERDADE
Dia 01/12/2008, segunda-feira, às 14 horas.
Na Assembléia Legislativa de São Paulo

27.11.08

Miniaturas

Existe uma técnica de pós-produção que faz imagens normais parecerem fotos de miniaturas. A seguir uma foto minha tirada do alto do Empire State, e em seguida um vídeo todo produzido com essa técnica:




The North Wind Blew South from Keith Loutit on Vimeo.

25.11.08

Grind House - Death Proof

Grind House é um projeto conjunto, onde Roberto Rodriguez e Tarantino dirigiram um longa cada (Planeta Terror e A Prova de Morte), e com outros diretores fizeram mais 4 falsos trailers (Machete, Ação de Graças, Não! e Mulheres Lobisomens da S.S.), todos com qualidade e gosto duvidoso projetados com defeitos, emendas e pedaços faltando, como uma sessão dupla de um cinema pulguento da década de setenta. Aqui no Brasil só passou o Planeta Terror com o trailer Machete,  o mesmo foi lançado em DVD. Pela internet já vi também o Death Proof (A Prova de Morte), muito bom. Agora vou atrás dos 3 trailers que faltam. (já ví! bem bizarros!)



Não sei quanta gente pegou sessão dupla aqui no brasil, mas o cinema de bairro aqui na Fradique Coutinho, o Cine Fiameta, onde depois foi o Cine UOL e agora é o IG Cine, era um cineminha pulguento que passava sessões duplas. Foi nele que eu consegui assistir Hair, que era proibido mas passava junto com O Filho do Monstro do Fundo do Mar, que era livre (!?). E outros filmes tambem driblei a censura desse jeito.

Dave Dee, Dozy, Beaky, Mick & Tich - Hold tight 1966

Conheci na trilha do Death Proof do Tarantino, dizem no filme que o Peter Townshend do The Who quase entrou na banda, que iria se chamar Dave Dee, Dozy, Beaky, Mick, Tich & Pete:

24.11.08

Frankstein Punk

De Eliana Fonseca e Cao Hamburger, pra mim uma das melhores animações de massinha de todos os tempos:


video

19.11.08

Somebody to Love - Jim Carrey (Cable Guy)

Paródia genial:



o original está aqui no blog!

16.11.08

15.11.08

Alan Moore e Watchmen

Adoro ler, sempre gostei, tenho entre meus preferidos clássicos como Moby Dick, vários do Hermingway, Guimarães Rosa, Agata Christe, H. G. Wells, Asimov, Athur C. Clarck, Vargas Llosa, entre vários outros. Mas a gente sempre tem um preferido, mas o meu preferido sempre me envergonhou diante amigos e parentes tão intelectualizados. Meu livro preferido é uma história em quadrinhos! É, aquela sub linguagem americanóide, deturpadora de jovens mentes! Mas Watchman de Alan Moore, é muito mais que isso, estou relendo pela enésima vez e de novo me deparo com um texto denso e intrincado, cheio de pequenos detalhes que vão montando um quebra cabeças psicodélico de infinitas peças até chegar num final completamente inesperado e angustiante. O cenário inicial é o seguinte: Década de oitenta de um mundo onde nos anos trinta surgiram os primeiros vigilantes mascarados reais (loucos, fascistas, idealistas, mercenários) e nos anos cinqüenta surge um super-ser com poderes quânticos a serviço do governo americano. Resultado, os EUA ganharam a guerra do Vietnã e Nixon está já no seu sexto mandato consecutivo, enquanto isso um menino sentado ao lado de uma banca lê um apavorante quadrinho de pirata (os de super heróis não fazem mais sucesso), a história muda o tempo inteiro de narrador e é toda intercortada por trechos de livros, teses e reportagens fictícias.
O meu alívio foi saber a pouco tempo que o Alan Moore já recebeu vários prêmios pelo Watchmen incluindo o de melhor escritor de língua inglesa pela Harvard University (1988), e o livro é o único quadrinho na lista dos 100 melhores livros de todos os tempos da revista Time.

Ano que vem saí o filme, com certeza não terá como chegar aos pés do livro, mas parece bem fiel visualmente (Atenção não tinha reparado que a legenda tem um erro crasso, onde eles escrevem "Eles cuidam de nós, mas quem cuida deles?" deveria estar "Eles nos vigiam, mas quem os vigia?") :



Ps: Acabei esquecendo de falar da arte maravilhosa, pesada, fria, detalhista, quase foto-jornalística de David Gibbons



Tin Toy - Pixar

Oscar de curta de animação de 1988:

2ª guerra mundial:

De uma sugestão do Danilo:







14.11.08

The Rebels - O Bode e a Cabra

Poxa! Não dá pra postar só coisa boa...
 Rebels - O bode e a cabra


O bode saiu com a cabra
Os dois andavam à pé
O bode pisou na cabra
A cabra gritou bé (3x)
A cabra estremecida
Com tanta dor no pé
O bode arrependido
Pediu desculpas, bé (3x)
A cabra então se contorcia de dor no pé
Pois não havia o que curasse
O seu pé, o seu pé, o seu pé
O bode foi tomar banho porém não dava a pé
A cabra toda assustada tornou a gritar bé, tornou a gritar bé,
tornou a gritar bé

O bode então não se arriscou
Deu marcha à ré
A cabra se entusiasmou
Deram no pé, deram no pé, deram no pé

E agora 'cabou-se a história Contem pra quem quiser
O bode beijou a cabra
Sarou a dor no pé
Sarou a dor no pé
Sarou a dor no pé
Sarou a dor no pé

13.11.08

Calloway Boogie

Pra reforçar minha teoria de que o rock veio antes do ovo (Chuck Berry) e da galinha (Elvis Presley), let's rock com Cab Calloway, o video é de 1950, mas a composição é bem anterior, infelizmente não consegui achar a data:

Mirian Makeba Especial

Primeiro a aparição dela no filme "Come Back, Africa" de 1960 cantando Into Yam com 28 anos:



Depois quatro vídeos dela se apresentando no Bern's Salonger em Estocolmo na Suécia em 1966, acompanhada de Bill Santha(?) no Baixo, Leopoldo na percurssão e Sivuca no violão e acordeon:

Amampondo


Oxgam


Kilimanjaro


When I pass (Quando eu morrer)


e para encerrar o discurso dela na ONU em 1963 contra o apartheid em inglês com legendas em fracês:

10.11.08

Morreu Miriam Makeba


foto de seu último show - 9/11

ROMA, 10 Nov 2008 (AFP) - A cantora sul-africana Miriam Makeba, 76 anos, conhecida em todo o mundo como "Mama África" e famosa no Brasil pela música "Pata Pata", morreu na madrugada de domingo para segunda-feira vítima de uma parada cardíaca depois de ter participado em um concerto a favor do escritor Roberto Saviano, ameaçado de morte pela máfia, na região de Nápoles.

Voz lendária do continente africano e um símbolo da luta contra o regime do apartheid, Miriam Makeba passou mal depois de ter cantado por 30 minutos em um show dedicado ao jovem autor do livro "Gomorra" em Castel Volturno.


"Foi a última a sair do palco, depois de outros cantores. Houve um bis e neste momento alguém perguntou se havia algum médico entre o público. Miriam Makeba havia desmaiado e estava no chão", afirma um fotógrafo da AFP presente ao evento.


Levada rapidamente para uma clínica de Castel Volturno, ela morreu pouco mais tarde em conseqüência de uma parada cardíaca.



Pergunta a todos.

Depois de uma discussão outro dia, fiquei curioso quanto a opinião das pessoas, o termo mulato é ou não ofensivo? Eu sou contra o politicamente correto, mas pra mim é, dêem uma olhada na definição do Houais:

Mulato

Datação
1526 cf. GVicCBeir

Acepções
 substantivo masculino 
1    m.q. jumento 
1.1    1burro pequeno, ainda novo 
2    Uso: informal. 
     cabra ('indivíduo') valente, desabusado, esperto 
3    Uso: informal. 
     indivíduo cheio de manhas; inzoneiro, sonso 
4    minério de cor acobreada (o próprio cobre, um derivado da prata) 
5    Regionalismo: Portugal. Uso: informal. 
     café com leite 
 adjetivo e substantivo masculino (1557) 
6    que ou aquele que é filho de pai branco e de mãe preta (ou vice-versa) 
6.1    que ou aquele que descende de brancos e negros 
6.1.1    que ou aquele que apresenta traços das raças negra e branca 
6.2    que ou aquele que não apresenta traços raciais definidos; mestiço de negro, índio ou branco, de pele morena clara ou escura 
6.3    que ou aquele que tem cor parda, acastanhada 
7    que ou o que apresenta pelagem negra misturada com tons alaranjados (diz-se de gado) 


Etimologia
esp. mulato (1525) 'macho jovem', por comparação da geração híbrida do mulato com a do mulo, de mulo (1042) 'macho'; vermu(l)-

Sinônimos
bode, branco-da-baía, cabra, cabrito, cabrocha, cabroche, caporro, escuro, moreno, pardavasco, pardo; ver tb. sinonímia demestiço

Coletivos
mulatame, mulataria

9.11.08

Quantum of Solace

Fui assistir o novo James Bond hoje, e achei bem legal. Devo deixar claro que sou fã de 007, não deixei de ver um, e este está nos top 10. Gosto muito do formato do novo JB, mais vulnerável e com menos traquitanas, mais frio e com uma relação muito mais complicada com o Mi6, do que simples piadinhas inglesas na sala de M. Já o tema musical inicial é uma mérda, uma das piores músicas de 007 que eu já ouvi, valia mais ter usado um remix de uma clássica tipo "On Her Majesty's Secret Service":

Marvin Gaye & Tammi Terrell - Ain't no mountain high enough

5.11.08

OBAMA



Hoje me lembrei que já vivi sob as ordens de diversos presidentes, nasci em 66, portanto peguei vários generais, mas me lembro mesmo do Geisel e do Figueiredo, depois vieram Sarney, Collor, O do Topete, FHC e o Lula... Mas o único presidente que eu respeitei e admirei pra valer, pra quem eu tirava o chapéu e falava com orgulho "meu presidente", foi por acaso um negro: Samôra Machel, presidente da Republica Popular Socialista de Moçambique. Morei lá de 82 a 84! Samôra foi assassinado em 86. Eu realmente torço pelo Obama, principalmente para que ele consiga se manter fora do alcance das miras fascistas!



4.11.08

Homer tenta votar no Obama!

Enquanto aguardamos o resultado, um vídeo que dispensas legendas....

2.11.08

Les Paul

Les Paul é um guitarrista (principalmente jazz) e inventor nascido em 9 de junho de 1915, virtuoso como instrumentista e professor pardal como inventor é um dos responsáveis pela guitarra elétrica como conhecemos hoje, além de precursor nos recursos de gravação em várias pistas, e invenções como o Lespulverizer, que ele mostra no primeiro vídeo, um tipo de sampler multipista para guitarra:



Aqui num comercial de cerveja, um jovem senta e começa a dedilhar uma guitarra, segue-se o seguinte diálogo:
Velho: - Legal, posso...
Jovem: - você toca?
V: - um pouquinho aqui e ali....
(Velho esmirilha na guitarra)
J: - Legal! Qual o seu nome?
V: - Tá na sua guitarra...
(Na decáda de 50 a Gibson lançou a linha de guitarras "Les Paul" criada pelo próprio Les Paul)



e só mais um com o oferecimento de listerine: